Festival Mental em 2021

Em 2021 o Festival Mental regressa a Lisboa para a sua 5.ª edição já de 20 a 23 de maio no Cinema São Jorge em Lisboa. Depois de uma edição de sucesso que se realizou, pela primeira vez, nesta emblemática sala lisboeta naturalmente associada à programação cultural da cidade, nomeadamente na área do cinema, o Festival Mental volta a centrar a maior parte da sua programação no local onde se realizou a sua 4.ª edição

O Festival Mental é essencialmente um festival de cinema e informação que está naturalmente aberto a outras formas de expressão artística que refletem sobre um tema extremamente relevante: a saúde mental.
Nesta edição, o Festival Mental reforça a sua missão de trazer para a discussão pública o tema da saúde mental, contribuindo para a diminuição do estigma a ele associado. Sendo a cultura, nas suas várias formas, uma proposta de diálogo, nada mais natural do que cruzar estes dois temas num festival multidisciplinar.

Com a antecipação da data de realização do evento, a OPEN CALL para curtas-metragens que se relacionem com a saúde mental já está a decorrer através da plataforma Film Freeway  sendo que já existem candidaturas de vários pontos do mundo. A data limite para participação nesta OPEN CALL é 27 de março e os temas das obras são livres desde que relacionados com o contexto principal do evento: a saúde mental.

O júri do MENTAL 2021 é constituído pelos residentes Rui Henriques Coimbra, Maria JoãoBarros, Catarina Belo e Eurico de Barros aos quais se juntará um quinto elemento convidado.

A programação de 2021 incluirá uma série de eventos integrados de várias áreas culturais e sociais como cinema, música, dança, teatroliteratura, debate e conversas temáticas. Aliando-se a esta programação acontecerá também o Mental Júnior, porque falar da saúde mental é também para os mais pequenos.

Em 2021 o Festival Mental terá também um formato itinerante, passando por cidades como: Funchal, Ponta Delgada e Castelo de Vide. Neste novo formato, a programação do FestivalMental é ajustada mantendo o seu propósito principal de debater o tema da saúde mental através da cultura, contribuindo para a construção de novos públicos e chegando diretamente às comunidades sem centralismos.