Cavalariça em Lisboa

O restaurante Cavalariça, aberto na Comporta desde 2017, abriu dia 24 de novembro em Lisboa um pop up que se estende, a priori, até dia 31 de março.
Há três anos que Bruno Caseiro e Filipa Gonçalves têm em vista uma nova morada na capital, cujo espaço permanente, que será no Largo Camões, inicia as obras em 2021.
Enquanto esse espaço não está pronto para receber a cozinha de Bruno Caseiro, é no antigo Optimista, em plena Rua da Boavista, 86, que a Cavalariça estará aberta de segunda a sexta, ao almoço e jantar, horários provisórios durante o Estado de Emergência.
Ter um espaço em Lisboa sempre foi um objetivo do casal e do sócio inglês, Christopher Morell, em grande parte pela sazonalidade que o restaurante da Comporta aparentava vir a sofrer. No entanto, o espaço na vila acabou por ganhar visibilidade e nos últimos anos mostrou ter capacidade para funcionar ativamente o ano inteiro. Ainda assim, a vontade manteve-se e surgiu a oportunidade de testarem a aceitação à Cavalariça em Lisboa neste espaço perto do Cais do Sodré.
A carta tem alguns clássicos incontornáveis da Comporta, como o Brioche Torrado com Parfait de Fígados de Galinha e Chutney de Laranja e os Croquetes  de Cachaço de Porco Alentejano com  Maionese de Amêijoa e Mostarda. Ao contrário do restaurante na costa alentejana, aqui os pratos são pensados numa vertente mais individual e de menor partilha, dado as circunstâncias atuais e também tendo em conta o formato mais urbano e bistro deste pop up. Os croquetes e ostras, por exemplo, são vendidos à unidade, enquanto na Comporta são vendidos aos pares ou trios, próprios para dividir entre amigos e familiares.
Os restantes pratos são totalmente novos e muitos deles poderão mesmo transitar para o irmão mais a sul. A carta, que respeita os ritmos sazonais, conta neste momento com muitos produtos de outono, como é o caso do Rolo Outono de Vegetais, Folha de Couve e Hoisin de Amêndoa, a Abóbora Hokkaido Bio Assada, Castanha, Cevada e Leitelho – este último um aproveitamento do soro que resta da manteiga do couvert, fermentada no restaurante pela equipa. Os Tortellini de Galinha Cogumelos Selvagens com Caldo de Presunto são também uma ode à estação.
No menu é possível encontrar Ostras da Célia, da Neptun Pearl, vegetais da Cerquinha ou do Val das Dúvidas, Porco Alentejano da Salsicharia Estremocense, Salmonete do Algarve ou Sarrajão dos Açores.
No que toca ao pão, a Cavalariça Lisboa não podia deixar de ter um dos ex-libris da casa, o Pão de Fermentação Lenta no qual Bruno Caseiro é exímio. Em Lisboa, ao pão quente adiciona-se também uma Focaccia caseira de Batata e Alecrim ou uma Broa de Centeio. Por encomenda, serão vendidos pães a dias fixos da semana ainda por definir.
A pastelaria, outras das paixões do chefe, tem neste momento três sobremesas à escolha. Uma delas, uma versão outonal do Paris Brest é o Choux de Castanha e Cogumelos. Há ainda uma gulosa Pêra Escalfada com Pistáchio Caramelizado e Xarope de Romã.
Fábio Nobre é o responsável pelo bar. Entre as várias criações estão cocktails mais sofisticados, ligeiramente diferentes da opções da Comporta, mais divertidas e estivais. Há ainda ginger beer caseira e bebidas não alcoólicas, como as sodas caseiras de kefir e maçã ou pêra e que vão mudando semanalmente. Nos cocktails há, por exemplo, Rum Añejo com Xarope de Cigarrilha, Hortelã, Lima e Espumante ou Aguardente Vínica do Breijinho da Costa com Porto Tawny e Xarope de Canela.
A carta de vinhos também é ligeiramente diferente da Comporta, com mais opções naturais e biodinâmicas, facilitadas pela distribuição em Lisboa.