E a vida continua na Bica…

E a vida continua na Bica… dentro das contingências e das regras emitidas pelas autoridades estatais e sanitárias. Quantos de nós vimos as expectativas goradas deste 2020.
Vivemos efectivamente uma época em que os negócios, com o intuito de sobreviverem, necessitam de uma readaptação que muitas vezes chega a uma restruturação profunda do modelo de negócio e dos conceitos apresentados outrora.
Essa readaptação, que muitas vezes acaba por ser algo constante, para João Colaço e a sua equipa (proprietário do Vila Bica e d’A Tabacaria) não passa por cortes no staff ou em políticas de lay-off, mas sim em cartas variadas, quer ao nível dos cocktails, quer ao nível dos petiscos, e, sobretudo, ajustadas economicamente.
VILA BICA surge no mercado este passado mês de Junho com o claro objectivo de ser um local onde os late dinners estavam bem marcados.
A TABACARIA, já consolidado no mercado, é um bar onde o cocktail é rei e senhor! E assim, após muitas horas de trabalho no sentido de perceber como dariam a volta a toda esta conjuntura actual, surgiu: Quando o VILA BICA desce ‘À TABACARIA. O que se pretende é juntar o melhor dos dois espaços em dois dias pop-up concentrando a operação neste último, já a começar esta próxima segunda e terças-feiras, dia 16 e 17 de Novembro respectivamente.
Durante as próximas semanas estes pop-up days terão lugar à segunda e à terça-feira, mas posteriormente, e dependendo das indicações e medidas anunciadas pelo nosso governo, os mesmos passarão a ter lugar aos fins-de-semana.
Cada um dos espaços terá sempre a sua carta dedicada a cada conceito, mas nos dias em que O VILA BICA DESCE ‘À TABACARIA existirá uma carta também ela pop-up, a saber: Ostra ao Natural (2€), Ovos Rasgados com trufa (6€), Bao Veggie (4€), o famoso Preguinho (5€), Salmão braseado (7€) entre outros petiscos que já são best sellers do espaço na Rua dos Cordoeiros na Calçada da Bica.
Entretanto, os dois espaços têm novas cartas que vão passar a apresentar a quem os visitar com apostas que vão ao encontro das Todos nós estamos a passar por momentos difíceis e cabe-nos a todos ajudar. Decidimos ajustar sobretudo o preço médio, com a mesma oferta gastronómica, baixando assim para cerca de 15€. É importante que recuperemos negócio e passemos confiança aos nossos clientes e adoptemos, ao mesmo tempo, uma política de portas abertas. É importante sentirmos que o comércio local é apoiado também pela comunidade que nos rodeia. E esse é o claro objectivo que temos para estes próximos meses”, afirma João Colaço.