Um “Santo António” diferente

Um “Santo António” diferente. Neste ano, não podemos esquecer a situação em que vivemos. Levando aos festejos dos “santos” de modo mais calmo e mais familiar. Por isso, está a ser implantada uma ação inédita que permitirá fazer a festa à varanda, em segurança, e ainda ajudar 20 associações, comissões de festas e grupos desportivos/recreativos que todos os anos organizam os famosos arraiais pela cidade.

Ao todo serão 12 bairros envolvidos – Alcântara, Campolide, Carnide, Estrela, Bica, Alfama, Olivais, Mouraria, Expo, Vila Berta, Graça e Benfica – e 20 associações nesta ação promovida pela PALADIN para não deixar cair as celebrações e possibilitar a estas entidades alguma rentabilidade apesar do cancelamento oficial das Festas de Lisboa.

A PALADIN desenvolveu milhares de kits Varandas à Portuguesa – compostos por bandeiras, enfeites e vários molhos da marca – que estão a ser distribuídos pelas 20 associações e grupos destes 12 bairros a todos os moradores sob o apelo de que celebrem os Santos Populares à janela e desafiem os vizinhos a juntar-se à festa. Por cada kit distribuído, a PALADIN atribui um valor monetário a estas 20 associações e grupos. Para além deste donativo, a PALADIN criou ainda um menu de petiscos e bebidas, disponível para home delivery (em parceria com a Uber Eats) para que não faltem os tradicionais petiscos à mesa dos lisboetas e para ajudar as entidades envolvidas a tirar o máximo retorno desta celebração.

“Este ano, inesperadamente, os Bairros Lisboetas não se encherão de pessoas, cores, música, festa e sardinhas o que representa uma perda para toda a cidade, mas também um impacto económico significativo para todos aqueles que dependem financeiramente deste grande evento e que, todos os anos, se dedicam a proporcionar aos lisboetas e visitantes uma festa ímpar pelas ruas da cidade”, refere Carlos Mendes Gonçalves. “Ficámos muito sensibilizados com a situação que afeta associações, comissões de festas e grupos desportivos/recreativos, e por isso lançámos esta ação que vai permitir reinventar os Santos Populares, em segurança, e à janela, e dar ânimo aos bairros que assim conseguirão minimizar as perdas sentidas pelo cancelamento das festividades”, acrescenta o responsável.