Os desafios de consumir português

Os desafios de consumir português! É difícil consumir português? Este repto, consumir português, traz consigo muitos desafios para ambas as partes, consumidores e marcas. Ao consumidor é o desafio de optar por marcas lusas em detrimento de outras não nacionais, em mudar o mindset e procurar no mercado (muitas vezes, a comunicação das marcas portuguesas para o exterior tem mais anos de incentivo que para o interior) marcas portuguesas válidas e assentes na nossa tradição. Para as marcas, no momento presente, o desafio é perceberem o poder de compra dos consumidores portugueses e terem propostas de produto ao nível dessa realidade. E, saberem comunicar-se para o público nacional.

Neste sentido, a Globalpress, agência de comunicação, deu início a um movimento tanto de ajuda, divulgação e promoção do consumir português.  Num contexto COVID19, o Movimento Eu Apoio a Produção Nacional quer manter dinâmica a economia promovendo o consumo de produtos nacionais e ao mesmo tempo ajudar os hospitais que estão na linha da frente no combate à pandemia. Em período de quarentena, e com as limitações impostas pelo Estado de Emergência, muitos dos produtores nacionais viram os seus principais canais de escoamento encerrados. 

No entender da Globalpress ” É inevitável o impacto que esta pandemia irá ter na economia mundial e, obviamente, nacional. Diria que este apelo ao consumo local, ou nacional, prende-se sobretudo com o facto de sentirmos mais rapidamente os efeitos, pois permite às empresas manter os postos de trabalho e continuar a laborar. É necessário ajudarmos a economia nacional a não parar e a melhor forma de o fazer é elevarmos os produtos portugueses e valorizarmos a importância de consumir o que é nacional“.

Desde Abril. o movimento Eu Apoio a Produção Nacional reúne num site – consumirportugues.pt – o acesso às lojas online de vários produtores, onde cada um tem disponível um produto ou pack solidário. 10% das vendas dos produtos definidos revertem para os Hospitais Públicos Santa Maria e São João. HLC Joalharia, Sanjo, A&D Wines, Sovina, Martine Love, +351, Cerveja Letra, Companhia das Cestas, José Maria da Fonseca, Topázio 1874, Joana Mota Capitão Jewellery, Victoria Handmade, Licor Orangea, Isto. e Quinta do Paral são já algumas das marcas nacionais que entraram neste movimento solidário.

Hupa shoes

O projecto Eu Apoio a Produção Nacional “nasceu com o intuito responder a dois desafios: o primeiro é apoiar os nossos clientes com estratégias criativas e dinâmicas no âmbito da comunicação e definir qual o nosso contributo enquanto empresa para a comunidade. Além de querermos manter a economia nacional dinâmica, promovendo o consumo de produtos nacionais, quisemos agregar o carácter solidário com a doação a Hospitais Públicos e enquanto agência de comunicação disponibilizamos gratuitamente os nossos serviços nas diversas vertentes: RP, assessoria mediática, marketing digital e de influência” acrescenta a Globalpress “A iniciativa evoluiu de tal forma que abrimos o leque a qualquer produtor nacional“.

De referir ainda que para a GlobalPress, neste momento, o maior desafio para as marcas portuguesas é estarem acessíveis aos consumidores “Diria que nesta fase a disponibilidade e acessibilidade dos produtos é determinante e este projeto é uma óptima oportunidade para a marcas se posicionarem, para se manterem ao lado do consumidor, que está neste momento a experienciar novos hábitos de consumo. É o momento de fidelizar os clientes às lojas online e para isso a marcas não podem desaparecer“.

www.consumirportugues.pt