Alberto Giacometti – Peter Lindbergh. Capturar o Invisível

A exposição “Alberto Giacometti – Peter Lindbergh. Capturar o Invisível”, até agora apenas exposta no Instituto Giacometti em Paris, no ano passado, será apresentada de 1 de abril a 24 de setembro de 2020, no MMIPO – Museu da Misericórdia do Porto.

Um diálogo íntimo entre a obra de Alberto Giacometti, um dos mais aclamados escultores do séc. XX, e a fotografia de Peter Lindbergh, que desvenda uma notória similitude na forma como representam a realidade. Esta iniciativa, inserida no âmbito das comemorações do 5º aniversário do Museu, é também um tributo ao lendário fotógrafo de moda que morreu prematuramente em setembro de 2019 e que esteve totalmente envolvido no processo de trazer a exposição para o Porto.

Pedro Nunes, Diretor do MMIPO, recorda o momento em que recebeu Peter Lindbergh no Porto: “Ele estava muito interessado em perceber todos os detalhes do espaço e na interação entre a exposição e o edifício. Mas fez também questão de conhecer a cidade e as pessoas. Esta exposição é uma homenagem ao seu legado. A sua arte permanecerá.”

Fascinado, desde novo, pela obra e personalidade de Giacometti, Lindbergh foi convidado pelo Instituto Giacometti, em Paris, a fotografar a coleção, em 2017. Deste encontro resulta uma coleção de fotografias que estarão lado a lado com as esculturas, criando um diálogo entre os dois artistas, que partilham a procura pela representação da realidade e a contemplação como forma de acesso à verdade.

“Se me perguntassem quais foram os cinco dias mais bonitos da minha vida, aquele com as esculturas de Giacometti seria certamente um dos primeiros três”. Foi assim que Peter Lindbergh descreveu o dia em que foi convidado a fotografar o espólio de Alberto Giacometti, na Fundação do artista em Paris. O resultado deu origem a uma exposição conjunta, das esculturas de Giacometti e as fotografias de Lindbergh.