Dez sugestões para férias em Lisboa

Dez sugestões para se vai passar as suas férias em Lisboa ou se vem cá como turista. Claro que podem encontrar muitas mais sugestões e propostas. Numa cidade como Lisboa que se tornou ainda mais cosmopolita, não faltam sítios onde e coisas para conhecer. Uma pequena agenda para seguir para além dos lugares comuns do turismo. Nos links encontram moradas e horários bem como contactos.

  • O espaço Manufactum by FRESS. A nova loja, localizada no nº 79 da Rua do Alecrim, no Chiado em Lisboa, tem como objetivo promover o trabalho das oficinas da FRESS. Com a abertura da loja, é apresentada uma nova linha de mobiliário contemporâneo assinada por prestigiados designers nacionais e internacionais.
  • O restaurante Trópico do Cais dá as boas vindas ao verão com novos pratos e um novo Chefe, Pedro Hazak. Inspirado numa cultura exótica e colorida, que mistura influências das gastronomias sul-americana e asiática, o Trópico assume-se como uma marca jovem que pretende oferecer refeições de qualidade num espaço autêntico e acolhedor. 
  • Carne, cocktails e um serviço de luxo. E onde? no novo restaurante Meat Me. Um restaurante que vem elevar a qualidade da oferta em Lisboa. Uma verdadeira casa que sabe acolher quem nela entra, com um serviço fantástico. Cada canto foi pensado para o melhor serviço ao cliente, desde do bar, ao restaurante e até aos pormenores de higiene na casa de banho. Tudo pensado ao pormenor para que tenhamos uma boa vivência e para que voltemos com vontade de mais.
  • Perante o desafio de construir uma exposição sobre Calouste Gulbenkian, o curador foi invadido por uma série de questões: Como expor uma vida, a sua vida? Como transformar uma biografia numa exposição? Perante as dúvidas, começaram a surgir respostas. Nesta exposição comemorativa, o espectador terá de pegar nos vestígios que Gulbenkian deixou para assumir um papel ativo na construção dessa vida, num caminho que se fará da frente para trás, do mais próximo para o mais antigo – uma linha, como que um labirinto que percorre o mundo que separa Lisboa de Istambul e terá uma narrativa com as suas histórias, as suas suspensões e, também, as suas falhas. Um percurso pela história do que foi Calouste e do que deixou para as gerações seguintes.
  • Loja das Conservas, na rua Arsenal. realçamos a sardinha assada mas de conserva, as chamuças de atum picante, lulas à bulhão pato e bacalhau à brás. Está aberto todos os dias da semana, de domingo a quarta das 12h às 22h, e de quinta a sábado até às 22h, e pode receber cerca de 40 lugares sentados.
  • O terceiro restaurante é o Trópico do Cais. Do nosso jantar temos a destacar, que compensa em relação qualidade preço, dois pratos muito deliciosos: o Nasi Goreng, o arroz muito bem confeccionado e super-delicioso, e o Ceviche misto que chama ao picante, embora não tivesse pode pedir que a cozinha oferece um molho picante do melhor. Depois, a cereja no topo do bolo, foi o brownie de paçoca. Sem dúvida, uma das melhores sobremesas que já provamos.
  • Durante este mês de Agosto, uma vez por semana, no formato curta+longa, serão exibidos oito filmes que, conspirando entre o documento e a ficção, se revelam como um gesto activo de influência e de poder sobre a realidade que traduzem ou pretendem evocar. Imagens que se tornam presente através das formas que inspiram, quando a ficção inunda o real e vice-versa. Os filmes surgem-nos como a possibilidade de um sonho ou a ideia de que estes se revelem num futuro. A acontecer com o pano de fundo do Aquário da Zé dos Bois, todas as Segundas-feiras pelas 22 horas, entre um copo e um cigarro, sentados à mesa ou num sofá, estas quatro sessões serão um compromisso entre a viagem hipnótica que pode ser a ideia de um filme e o conforto de uma partilha colectiva.
  • Temos em Lisboa, um museu desconhecido que merece toda a nossa atenção. Na Sé de Lisboa, podemos nos maravilhar com peças do passado pertencentes à nossa história comum sejamos crentes ou não. Ao longo do percurso o visitante tomará contacto  não só com o valor patrimonial, artístico ou histórico mas também com o sentido evangélico que cada uma das peças pretende transmitir.
  • um belo gelado de uma casa típica da baixa lisboeta, Fragoleto, onde podemos encontrar sabores deliciosos e a preços razoáveis. A experiência do verdadeiro gelado, seja em cone ou copo, passa pela exigência da casa. Não perder o gelado de cheesecake, de perder a cabeça.
  • Dedicado à história e à memória do combate à ditadura e ao reconhecimento da resistência em prol da liberdade e da democracia. É um sítio musealizado e um museu histórico que pretende preencher uma lacuna no tecido museológico português, projetando a valorização da memória de luta contra a ditadura na construção de uma cidadania esclarecida e responsável e assumindo a luta contra o silenciamento desculpabilizante, e muitas vezes cúmplice, do regime ditatorial que dirigiu o país entre 1926 e 1974.Museu do Aljube, Rua de Augusto Rosa, 42 • 1100-059 Lisboa