Cavalo de Troia: contado pelos romanos

Nas noites do fim-de-semana de 8 e 9 de junho, a Praia da Caldeira, junto às Ruínas Romanas, situada na Península de Troia, apresenta-se como o cenário idílico para a representação do espetáculo “Cavalo de Troia: contado pelos romanos”.

Da autoria da Décadas de Sonho e com a participação dos Malatitsch, o “Cavalo de Troia” levará o público numa viagem até à Ásia Menor, para viver uma história de deuses e heróis, com as suas aventuras vividas há milhares de anos na longínqua cidade de Troia. Esta cidade foi palco da mais bela história de amor da Humanidade, que agora será contada pelo olhar de romanos de uma outra Troia (desta vez bem perto de nós) repleta de ricos cidadãos que viviam do comércio de peixe salgado e molhos de peixe.

O espetáculo de 50 minutos, representado neste cenário histórico, revive a paixão de Helena e Páris, cantada por Homero, e que enlouqueceu generais e deuses. Com o desenrolar da trama, adultos e crianças descobrirão o lugar onde o amor foi capaz de enfrentar exércitos bem armados e aprenderão como numa guerra só a astúcia de alguns homens permite vencer.

Este espetáculo será exclusivamente apresentado na Praia da Caldeira nos dias 8 e 9 de junho, sábado e domingo, contando com duas sessões em cada um dos dias, uma às 21h00 e outra às 22h30.

O espetáculo organizado pelas Ruínas Romanas de Troia, o maior centro de produção de salgas de peixe do Império Romano, permite descobrir de uma forma original e exclusiva os encantos históricos e naturais que este cenário ainda preserva. Os bilhetes podem ser adquiridos através da Ticketline.

Espetáculo Cavalo de Troia | Praia da Caldeira | Duração: 50 minutos

Sessões: 8 de junho – 21h00 e 22h30 | 9 de junho – 21h00 e 22h30

Bilhetes: 20€ Adultos | 10€ Crianças (dos 5 aos 12 anos) | Crianças (até aos 4 Anos) gratuito

À venda na Ticketline

Nota: Acesso pela estrada das Ruínas Romanas de Troia e possibilidade de parqueamento junto ao sítio arqueológico.

Sobre as Ruínas Romanas de Troia

A poucos minutos da zona central de Troia, na outrora presumível Ilha de Ácala e que hoje se insere na Rede Natura 2000, os visitantes são convidados a viajar no tempo até às ruínas do maior centro de produção de salgas de peixe do Império Romano.

Envolto num ambiente de beleza natural impar, as visitas pelas ruinas da “Pompeia de Setúbal”, conforme foi referida por Hans Christian Andersen, dão a conhecer um monumento nacional que sobreviveu mais de 2000 anos, com casas, fábricas, termas, mausoléu e necrópole, que identificam a cidadania romana. Todos os anos são descobertos vestígios, que podem vistos nas exposições arqueológicas, visitas guiadas e eventos temáticos que periodicamente são promovidos.