O Peru ao virar da esquina em Lisboa

O Peru ao virar da Esquina em Lisboa. Mais uma boa surpresa do Grupo José Avillez, a nova Cantina Peruana recria o ambiente informal e boémio das típicas cantinas de Lima. E, tivemos um jantar muito bom!
Embora num sítio novo, a carta continua a basear-se numa cozinha peruana contemporânea e convida a uma viagem pelas ruas de Lima, com as suas diferentes influências gastronómicas – andina, espanhola, africana, japonesa ou chinesa.
Tem a assinatura de Diego Muñoz e mantém muitos dos pratos originais, mas também há novidades. À mesa, mantém-se o conceito de partilha, com doses mais generosas.

Para começar temos o Pisco Bar Lisboa, onde podemos apreciar o Pisco Sour, algo tão “dedal” como delicioso. Foi por aí que tudo enveredou. Para abrir o apetite, numa noite de confraternização.

«As cantinas, tabernas tradicionais, são verdadeiros ícones de Lima, fazem parte do nosso património cultural e a sua história
está ligada à paixão dos peruanos pela gastronomia, enquanto forma de conviver», explica o chef peruano.
«Na nova cantina, encontramos o ambiente de uma típica cantina de Lima: um ponto de encontro, onde podemos almoçar, petiscar, jantar ou tomar um copo e ficar por lá, pela noite dentro».

Para José Avillez, «a Cantina e o Piscoa Bar Lisboa entram agora numa nova fase: continuamos a servir o melhor da cozinha peruana, acompanhada por cocktails incríveis, mas num espaço mais amplo e que nos permite oferecer uma experiência ainda mais autêntica. Esta parceria com o Diego Muñoz, a primeira que o Grupo José Avillez fez com um chef internacional, tem sido muito compensadora pois tem proporcionado uma enorme aprendizagem a toda a equipa.»

Diversificada, rica e cheia de sabor, com história e múltiplas influências culturais, a cozinha peruana tornou-se uma referência em todo o mundo e Diego Muñoz um dos seus embaixadores mais conceituados.

Ora bem, quais foram os nossos preferidos? Difícil mas temos de realçar Anticucho de pollo nikkei, coxa de frango marinada em molho anticuchera nikkei, grelhada, com batata-palha artesanal, sésamo tostado, ají limo e shiso vermelho. Supimpa! E, para entrada, tivemos dois preferidos, papas anticucheras, que são umas deliciosas batatas fritas com pele, em molho anticuchera, com maionese de ají rocoto, criolla, ovos e pistácio. E, as soberbas gambas em tempura com molho tártaro e criolla chamadas de chicharrón de gamba en tempura.

A carta foi criada por Diego Muñoz, chef executivo do restaurante, com a colaboração de José Avillez, que ajudou na selecção do peixe português mais adequado aos pratos e com algumas sugestões relacionadas com o gosto dos portugueses.