Fiat 500 Série F em exposição no MoMA New York

O Fiat 500 Série F adquirido pelo famoso Museu de Arte Moderna de Nova Iorque em 2017 foi ontem exposto ao público pela primeira vez. A viatura estará em exibição integrada na mostra, aberta aos visitantes até 15 de junho de 2019, “The Value of Good Design”, que descreve a história do design industrial através de trabalhos pertencentes à coleção do MoMA

A entrada do modelo nas galerias do MoMA é mais uma prova da importância histórica e do valor simbólico do Fiat 500 da década de 1950 como ícone do estilo italiano, personificando muitos dos elementos típicos do design modernista da época, e associa-se aos temas explorados pelas coleções exibidas no museu.

O Fiat 500 em exposição no MoMA é um modelo da Série F. Esta foi a mais famosa de todas as séries, tendo sido fabricado entre 1965 e 1972. Contando com as outras versões da primeira geração (Sport, D, L, R), saíram das linhas de montagem mais de 4 milhões de veículos entre 1957 e 1975. Acrescentando a esse número as unidades fabricadas desde o relançamento do 500 em 2007, a produção chegou a mais de 6 milhões, fazendo do modelo um dos recordistas de vendas da Fiat de todos os tempos.

Desenhado por Dante Giacosa e lançado em 1957, o “Nuova” 500 foi concebido como uma viatura acessível para “colocar sobre rodas” a Europa do pós-guerra. O conceito básico era que o design de alta qualidade deveria ser acessível a todos. Apesar das suas pequenas dimensões, o design de Giacosa maximizou o espaço interno, criando um habitáculo surpreendentemente amplo, capaz de acomodar quatro passageiros. A capota flexível e dobrável, de série, dava a esta viatura económica um toque de luxo, reduzindo simultaneamente a utilização de aço, material muito caro naquela altura, necessário para a sua construção.