Uma campanha em três momentos

Uma campanha em três momentos. Na sua primeira campanha para a Louis Vuitton, o Director Artístico da colecção masculina representa os valores estabelecidos para a colecção de primavera-verão 2019.

Dividida em três fases, com lançamento entre janeiro e março, a campanha multi-media explora as ideias da percepção individual e envolvimento através das lentes da inclusão. Este olhar global espelha ainda o espírito da viagem intrínseco à Louis Vuitton.

Infância e Adolescência, por Inez & Vinoodh, revelada a 21 de janeiro, explora o estudo da infância iniciado por Virgil Abloh na coleção de primavera-verão 2019 para a Louis Vuitton.

Focando-se nas fases de desenvolvimento que formam a identidade e guarda-roupa de um homem, peças-chave da coleção primavera-verão 2019 são representadas em indivíduos em diferentes momentos do crescimento humano. Surgem em imagens com símbolos como as papoilas e o arco-íris, centrais às alegorias de O Feiticeiro de Oz que marcam a coleção.

Alieyth, de 3 anos, e Jack, de 2, representam a pureza da infância, ainda inalterada pelas percepções pré-concebidas sobre género, raça e credo. Fotografados nos arredores nativos da sua vida infantil e adolescente, os atores Leo James Davis, de 7 anos, Evan Rosado, de 12, e Luke Prael, de 16, ilustram os estados da pré adolescência e adolescência de um rapaz e refletem os sonhos e desejos das suas gerações.

Lançada no dia 1 de fevereiro, The Painter’s Studio, de Mohamed Bourouissa reflete em fotografia a obra de 1855 com o mesmo nome do artista realista francês Gustave Courbet. Pintada no ano seguinte à criação da Maison por Louis Vuitton, a obra original representa Courbet enquanto trabalha num quadro, com pessoas de diferentes estratos da sociedade francesa à sua esquerda e membros da alta sociedade à sua direita. Através da perspetiva contemporânea de Virgil Abloh, o designer é captado durante o fitting de um look de primavera-verão 2019, rodeado por membros da sua equipa, círculo social e modelos, cada um exibindo a coleção.

Enquanto que a obra de Coubert interpretava a ‘vida real’ da sociedade aos olhos da elite cultural, Virgil Abloh retrata a troca de envolvências que define a sua visão para a Louis Vuitton: diversidade, inclusão e unidade.

Adolescentes na escola, lançada no dia 22 de março, de Raimond Wouda, retrata a comunicação formativa entre adolescentes em situações de grupo fundamentais ao desenvolvimento de um homem, desde a infância à vida adulta. Estudantes vestidos com t-shirts colour-block evocam o desfile de primavera-verão 2019 da Louis Vuitton, para o qual Virgil Abloh convidou 1500 jovens estudantes vestidos com looks semelhantes para criarem o espetro de cores de um arco-íris.

Um olhar contemporâneo do schuttersstukken do Barroco Holandês, as imagens foram fotografadas em escolas de Los Angeles e captam a interação cultural própria dos anos da adolescência:  o desejo de integração, contrastado pela necessidade de individualidade. Em constante evolução com os tempos, esta tensão particular entre uniformidade e diversidade abre caminho para o entendimento futuro de um homem sobre a sua própria identidade, guarda-roupa e o que isso significa.