Quinta do Casal Branco com grandes novidades

A Quinta do Casal Branco foi a grande vencedora do “IX Concurso de Vinhos do Tejo”, arrebatando nove prémios no evento organizado, no dia 24 de Março, pela Confraria Enófila Nossa Senhora do Tejo e promovido pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo, cerimónia realizada no Hotel dos Templários, em Tomar, e que juntou cerca de 400 pessoas.

Além do Galardão “Enólogos do Ano” atribuído em ex aequo a Manuel Lobo de Vasconcellos (enólogo consultor) e Joana Silva Lopes (enóloga residente), a 8ª edição da “Gala Tejo” distinguiu ainda a Quinta do Casal Branco com duas de três Medalhas de Excelência pelos seus mais recentes “Falcoaria Fernão Pires Vinhas Velhas Branco 2016” e “Falcoaria Colheita Tardia Branco 2014”, também estes galardoados com Medalha de Ouro.

Com Medalha de Prata, a Quinta do Casal Branco viu consagrados os vinhos “Falcoaria Grande Reserva Tinto 2015”, “Falcoaria Clássico Tinto 2014” e “Terra de Lobos Rosé 2017”, este último também premiado como 2º Melhor Rosé.

No concurso anual que, este ano, juntou 37 produtores (mais três que em 2017) e 116 amostras (mais oito que no ano passado), foram premiados 50 vinhos de 22 produtores.

A Quinta do Casal Branco, propriedade da família Cruz Sobral desde 1775 e gerida actualmente pelo co-proprietário José Lobo de Vasconcelos, celebrou orgulhosamente 200 anos de produção vitivinícola em 2017, continuando a apostar nas mais modernas tecnologias na produção de vinhos que dignifiquem a tipicidade das castas e do terroir, aliadas à tradição e à experiência de dois séculos de know how.

Situada na região do Ribatejo, na margem esquerda do rio Tejo, a propriedade com cerca de 1100 hectares possui vinhas implantadas em solos franco-arenosos, num total de 119 hectares, destacando-se as típicas castas autóctones das vinhas centenárias (Fernão Pires, Castelão, Trincadeira e Touriga Nacional) e as recentemente introduzidas Syrah, Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Alicante.

A marca Casal Branco está, hoje, presente em 28 mercados externos (destacando-se Reino Unido, Estados Unidos, Hong Kong, Angola e Brasil), correspondentes a 91% do volume anual de vendas que, actualmente, se traduz num milhão de garrafas.