Catolicismo e moda

Catolicismo e moda, são dois sintagmas improváveis! Pensaríamos, nós, levados pela corrente do nosso tempo, que impede que dois mundos se conectem por não terem, aparentemente, as mesmas categorias de avaliação da realidade. Porém, falar de fé ou religião e moda é falar de duas realidades co-existentes e mais antigas na civilização e no agir humano.

Qual a civilização que não interpretava a sua religião e os seu vestir, e ambas influenciavam-se e reliam-se mutuamente. Na antiga roma, a maneira de vestir diferenciava-se do quotidiano das cerimonias religiosas e mesmo aqueles que eram levados ao tribunal tinham um código de vestuário. Ou, no antigo judaísmo, perante actos de heresia, era comum o rasgar das vestes como sinal de horror.

Catolicismo e moda, é um tema que parece contrário. Mas, abordamos pois é o tema da Met Gala 2018 “Heavenly Bodies – fashion and the catholic imagination”. Na exposição com o apoio da Santa Sé estarão peças da liturgia papal sejam paramentos como indumentária quotidiana. Sejam os sapatos de São João Paulo II como um pluvial ou capa de asperges de Bento XV, Papa durante a Primeira Guerra Mundial como um conjunto de paramentos oferecidos ao Beato Pio IX, último Papa do Sec.XIX, pela Imperatriz da Áustria. Tudo isto sob a colaboração do Pontifício Conselho para a Cultura.

E, neste ponto, nos últimos anos tivemos pontos de contacto entre as duas realidades, como não apreciar as inspirações eclesiásticas de Balenciaga nas suas obras, a constante presença de ícones religiosos na obra da dupla Dolce & Gabbana e as tentativas sucessivas do Cardeal-Arcebispo de Paris, Jean-Marie Lustiger, nos anos 80 e 90 para elaborar eventos de contacto entre a moda e a religião. Nesta exposição, podemos ver a casula feita por De Castelbajac para São João Paulo II usar na missa em 1997 no encontro mundial da Juventude em Paris.

Como diz o site oficial, a relação entre a imaginação e fé católica e o design de moda e as artes decorativas não pode ser levada demasiado leve. E, não são, de modo algum, realidades tão desfasadas como poderíamos pensar. Muitas vezes de costas voltadas e com razões reais, poderemos ver a encetar caminho numa só exposição e evento

http://www.cultura.va/content/cultura/en.html para mais informações.