Louis Vuitton Inverno para homem

O Palais Royal, em Paris, recebeu ontem o desfile de Homem da Louis Vuitton para o próximo Outono/Inverno. Kate Moss e Naomi Campbell fecharam o desfile que marcou o final da colaboração entre Kim Jones e a Maison.

Todo-o-terreno, atravessar países, uma perspectiva global. A colecção de Outono/Inverno 2018 da Louis Vuitton é uma visão geral, exibindo simultaneamente múltiplas paisagens do mundo, assim como a herança da própria Louis Vuitton. Passado, presente e futuro.

“É sobre roupas que podem mudar, sobre tecidos que podem viajar com o corpo – e transformar-se”, diz Kim Jones, Director Artístico da linha masculina da Louis Vuitton. “Descobrir algo novo. Uma viagem constante”.

A colecção simboliza uma facilidade de movimento claramente moderna através de peças inspiradas em sportswear, bem como em diferentes experiências culturais. O padrão principal representa uma viagem, composto por fotografias captadas durante um voo de helicóptero pelo Quénia.  As imagens resultantes não só estão directamente presentes em algumas das peças, como influenciam a palete de tons neutros da colecção –  tons de areia, granito, azeitona e ardósia reforçam o ADN da Louis Vuitton, de exploração e descoberta.

Outras referências da colecção vão do Wild West até ao Far East, numa mistura de temas e abordagens. O American rodeo é evocado através de looks com calções usados por cima de leggings, que remetem para peças de desporto. Peças em pelo remetem para a Rússia e Sibéria, enquanto que detalhes técnicos são incorporados em caxemira clássica remetendo para o mundo da escalada, inspirando injecções gráficas de amarelo-néon e laranja.

Por sua vez o calçado ecoa todos estes híbridos: desde botas cowboy com detalhes técnicos de escalada, a luxuosa pele píton utilizada em sapatilhas para desportos de alto-impacto – um “reboot” de um modelo que apareceu em 2015.

Nesta colecção, o passado é um destino frequentemente visitado: “Looks modernos, colocados num lugar clássico”, explica Kim Jones. Uma viagem pelos arquivos da Louis Vuitton também reflecte um Lifestyle contemporâneo, enquanto que influências de sportswear são evidentes ao longo de toda a colecção. A fundação do guarda-roupa do homem moderno é refinada como nova definição do luxo, tanto preciosa como prática.

Para comunicar o conceito de viagem através dos materiais utilizados na colecção, Kim Jones virou-se para o futuro. Titânio é incorporado na colecção como um novo metal precioso, utilizado em detalhes das peças. Tecidos brilhantes, detalhes em organza, píton e acabamentos metalizados, tudo inspira a mudança.

O Monogram Titanium evoca o brilho e as sombras do metal, levando-o a uma representação fresca da icónica assinatura. Leather goods e acessórios apresentam uma nova abordagem à herança da Maison. O Monogram é revisitado em diferentes cores e acabamentos. Ao Monogram Titanium junta-se o Monogram Glaze, cujo acabamento brilhante e espelhado é uma actualização face à tela Monogram, ao mesmo tempo que se inspira no Vernis do final dos anos 1990.
Nas paletes de cor Macassar e Eclipse, Monogram Glaze está presente em malas, calçado e ready-to-wear. A assinatura lustre do Monogram Fluo acentua as energéticas cores néon.

Uma nova assinatura emerge, com detalhes em relevo dos nomes “Louis” ou “Vuitton”, em duas novas linhas de leather goods – Infinity Light e Infinity Dark. A pele é utilizada para evidenciar a pureza da forma, aparada com correias em titânio e detalhes em metal. A Louis Vuitton Speedy é reutilizada como cross-body, com uma nova proporção mais masculina; um estilo descontraído é oferecido através de um elegante duffle bag; e uma nova mochila e duas messengers bag foram também criadas. Detalhes de activewearinspirados pelo montanhismo são integrados nos acessórios, com ilhós em titânio e cordas de escaladas a serem utilizados como alças e fechos.

A clássica hard-case da Louis Vuitton é reduzida para se tornar um Messenger trunk de ombro ou um Daily trunk de mão. Os baús e malas de titânio inspiram uma interacção abstracta entre as noções de rígido e suave.

Nunca um destino, sempre uma viagem. Esta colecção celebra o ponto de vista inovador da Maison, numa paisagem sempre em expansão. É uma visão global, uma nova perspectiva. Ansiosamente a olhar em frente, para novos horizontes.