10 restaurantes e 10 chefs de 2017

A realidade das gastronomia sempre marcou o nosso modo de vida português e saber que restaurantes favorecem uma boa experiência gustativa foi algo que atraiu sempre a nossa curiosidade. E, daqueles que nos visita. Não é de estranhar que nasçam mais conhecedores, entendidos, jornalistas ou blogs de gastronomia.

Neste contexto, foi nesta segunda-feira, dia 15 de janeiro, que foram conhecidos os resultados dos Prémios Mesa Marcada: Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos 2017. A cerimónia de entrega de prémios aconteceu no mítico Alcântara Café, em Lisboa, onde estiveram aproximadamente 300 pessoas, entre chefes, gastrónomos, enólogos, sommeliers, responsáveis na área da hotelaria, jornalistas e muitos mais.

Muitos dos convidados presentes fazem parte dos 153 membros do júri que responderam ao desafio dos autores do Mesa Marcada para votar nestes prémios. O grande vencedor da noite foi João Rodrigues, chefe do restaurante Feitoria, conquistando o primeiro lugar no topo das duas categorias principais: Restaurante e Chefe. João Rodrigues repete a dose do ano passado, o primeiro ano em que ficou em primeiro lugar nas duas categorias, contrariando a hegemonia de José Avillez, que ocupava este lugar há sete anos.

Vasco Coelho Santos foi outro chefe que brilhou, com a entrada directa do seu restaurante Euskalduna Studio para o 8o lugar no TOP dos 10 Restaurantes Preferidos e uma subida galopante de 50 lugares em relação a 2016 ao atingir o 9o lugar no TOP 10 Chefes Preferidos de 2017. O chefe portuense levou para casa ainda o prémio de Chefe Revelação do Ano, um prémio que hom- enageia o cozinheiro que mais se destacou, entre os primeiros, na lista de “Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos do Mesa Marcada. Entre os nomeados estava João Oliveira (Vista) e Rodrigo Castelo (Taberna Ó Balcão). Em 2016 o Chefe Revelação do Ano foi Pedro Pena Bastos, ex-Herdade do Esporão.

O Euskalduna Studio, restaurante liderado por Vasco Coelho Santos, venceu também o Prémio Especial Estrella Damm Destaque do Ano 2017, atribuído ao restaurante que mais subiu, entre os primeiros, no ranking dos “Preferidos” do Mesa Marcada”, e que tinha dois adversários à altura: Midori (Sintra) e Vista (Portimão). Este prémio foi para o Loco no ano passado.

Também no Prémio Mesa Diária houve mudanças, a Taberna da Rua das Flores, de André Magalhães, que tem arrecadado este prémio todos anos desde que é atribuído, foi ultrapassada pela Taberna Ó Balcão, de Rodrigo Castelo, considerado pelos votantes como “o restaurante favorito de preço moderado que frequentam regularmente, ou que recomendam a um amigo”.

Os galardões não se ficam por aqui, no Prémio Especial Quinta do Ataíde Restaurante Novo do Ano estavam em jogo três casas lisboetas: Pesca, Local e JNcQuoi e foi este último, o restaurante na Avenida da Liberdade comandado na cozinha por António Bóia, que levou para casa a distinção.

Por fim, mas não menos importante, anunciou-se nesta 9a edição dos Prémios Mesa Marcada a introdução de uma nova distinção: Prémio Maria José Macedo – Produtor / Fornecedor do Ano, atribuído a Pedro Bastos, da Nutrifresco, uma escolha feita com consulta a vários chefes.

O QUE SÃO OS PRÉMIOS MESA MARCADA?

Em 2009, o blogue Mesa Marcada decidiu promover uma votação que elegesse os melhores restaurantes e chefes de cozinha do ano. Nessa altura, não havia em Portugal qualquer iniciativa no género, apenas prémios e concursos atribuídos por revistas, guias ou entidades, direta ou indirectamente, ligadas ao setor ou aos media, mas nenhum que reunisse um júri alargado com os diversos intervenientes na área, ou seja: chefes de cozinha, responsáveis por restaurantes, jornalistas, críticos, bloggers e também o lado de lá, o do cliente, o do entusiasta do bom garfo, o gastrónomo. No fundo, este painel alargado representava, também, o público leitor deste blogue de gastronomia. Nasciam assim “Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos do Mesa Marcada”.