Gentlemen’s Talks – Henrique Brust

Natural do Brasil, de Rio Grande do Sul, Henrique Brust é formado na área de medicina tradicional chinesa. Estabeleceu-se na capital de Portugal para mostrar os benefícios da terapia corporal e da acupuntura estética e o sucesso da sua profissão não mais parou de ditar a sua estadia em solo luso, há já quase 16 anos. Abriu a sua “Clínica de Beleza Natural”, onde conjuga a sua sabedoria e experiência dos conhecimentos milenares chineses com os mais avançados métodos de estética não invasiva. Ultimamente, sabendo da importância do interior do corpo, a par do exterior, Henrique Brust aprofundou-se também na área da alimentação saudável.

1. O que faz um homem ser elegante?

Acho que, na verdade, a elegância tem muito haver com o carácter, com a atitude, tal e qual como com o cavalheirismo. É uma atitude que se denota em qualquer pessoa de bem, seja rico ou não.Não é preciso ter muito dinheiro para se ser elegante, pois também acho que para vestir bem, não é preciso usar marcas caríssimas. Resumindo, para se vestir, um homem elegante deve usar roupa que lhe caia bem, no tamanho e alinhamento certos. Saber usar o que combina com o seu corpo. Mas, lá está: o mérito da elegância, não se faz apenas com roupa e na altura de se vestir. Ter atitude é a chave. Ter confiança e segurança nas convicções tem o seu charme.

2. Quais são as peças imprescindíveis no seu guarda-roupa?

Penso que um bom guarda-roupa depende mais de fazer boas escolhas do que de a quantidade de peças. No meu caso, são:

a boa e “velha” camisa branca, que funciona em qualquer ocasião; um bom blazer, que tem o poder de transformar o look casual em elegante; e, sobretudo, o calçado. Um bom sapato que possa ser usado em quase todas as ocasiões. Dependendo do modelo, ele vai bem com calças e camisa, mais descontraído, ou para um dia comum de trabalho.

3. Tem role models na elegância masculina? Figuras que o inspirem?

O George Clooney. Porque para além da elegância e charme, é um actor que vai muito mais além da sua fama, usando-a para o bem comum.

Ele já se envolveu em diversas ações sociais e ajudou a fundar organizações humanitárias como a Satellite Sentinel Project, fundada em parceria com o activista John Prendergast, que usa imagens de satélite para denunciar atrocidades cometidas no Sudão, em África.

4. Qual a diferença entre um tratamento normal e um natural? Quais os benefícios?

Desde o tempo das nossas avós, que faziam hidratação com abacate e alisavam o cabelo com o ferro de roupa, muita coisa tem vindo a mudar. Agora, as opções são mais modernas e tecnológicas, mas acho que se podem combinar ambos. Por exemplo, um tratamento de acupuntura (natural) para emagrecer pode ser complementado/potenciado com Hifu (ultra-som microfocado), que trata a flacidez deixada pelo emagrecimento, tanto no corpo, como no rosto. Este é apenas um exemplo, mas acho que só há benefícios na combinação de ambos, normal e natural.

5. Normalmente os homens são menos atraídos por tratamentos de beleza? Ou é um mito?

É um mito, pois os homens são mais discretos. Acho que hoje em dia, eles preocupam-se tanto ou mais do que as mulheres. Gostam de se sentir bem, saudáveis e, sobretudo, atraentes. Tudo o que eles possam melhorar, não hesitam, mas, claro, não demonstram tanto como no universo feminino.