Um lounge para colocar na agenda

Na passada sexta-feira fomos conhecer a carta de cocktais e bar do Corinthia Hotel em Lisboa. No final, fizemos duas descobertas; o espaço, ou seja, o lounge e a esplanada na parte posterior do hotel e a maravilha que são os cocktais sem álcool.

Da carta de bar temos a realçar o Risotto de Lima com camarões salteados e o Bife do Lombo à Portuguesa com presunto serrano e batatas salteadas! Uma salada a pedir será a Salada Cobb com alface iceberg, ovo cozido, tomate, peito de frango grelhado, bacon e abacate com molho Ranch.

E, depois, os cocktails sem álcool que provamos, o Orange Blossom com sumo de laranja natural, lichias, framboesas e gengibre fresco e o Sunshine Blush com maracujá e framboesas macerados em açúcar, sumo de arando, sumo de laranja natural e preenchido com Seven Up.

Servidos pelo Barman Nelson Antunes, Finalista do Concurso Worldclass Portugal 2015 que se mostrou sempre disponível para qualquer dúvida. Ainda ficamos a conhecer a origem da palavra cocktail como aparece na carta do bar do Tempus Lounge:

“A origem da famosa palavra cocktail encontra-se envolta em mistério. Referindo-se a uma mistura de bebidas alcoólicas, açúcar, água e bitters, a palavra cocktail aparece assim escrita pela primeira vez numa publicação americana em 1806.

A Guerra da Independência dos Estados Unidos da América decorreu a par dos tempos conturbados da queda da monarquia em França e do fervilhar da revolução francesa, cujos partidários elegeram a imagem de um galo como símbolo da alvorada do novo regime libertador do povo. Ora conta-se que num belo dia desse conturbado período na história da América, a dona de um botequim chamada Betsy Flanagan preparou um apetitoso cozinhado com galos (cockerel), roubados a um partidário dos colonialistas Ingleses. Para celebrar essa pequena façanha, Betsy decorou os copos a serem usados no festim com penas das caudas (tail) das aves.

Durante o repasto, convidados franceses, simpatizantes do espírito de libertação americano e certamente “tocados” pelas bebidas brindaram à saúde da patriótica anfitriã com repetidas salvas de “Vive Le Cocktail!” (“Vivam as caudas dos galos!”).
Claro que são diversas as versões sobre a origem do cocktail, e todas elas assumem ser verdadeiras.
Esta versão é tão “verdadeira” como outra qualquer.
Mas se a lenda do aparecimento dos cocktails se perde na bruma dos tempos, estes aqui estão para encantar todos os apreciadores de bebidas”.