Pizza à maneira portuguesa?

Falar de um restaurante de pizzas pode parecer um lugar comum mas, neste caso, fomos encontrar uma aposta fortíssima dos irmãos Giulian e Esmeralda Fetahu. A Pizzaria do Bairro inspirou-se no conceito italiano de pizza al taglio, criado em Roma e que tem vindo a conquistar adeptos um pouco por todo o mundo, para destacar os sabores nacionais. A imagem de marca da Pizzaria do Bairro é “Portugal na Pizza”, onde os melhores pratos portugueses são recriados na típica massa italiana. Conta já com cerca de 21 variedades de pizza à fatia ou redonda, possíveis de encomendar para levar para casa ou consumir nas lojas. Do bacalhau aos grelos ao famoso queijo da Ilha, estas pizzas querem ser portuguesas!

Os proprietários, Giulian e Esmeralda Fetahu e João Fernandes, criadores do conceito e segredo da massa, garantem que os únicos ingredientes que não são nacionais na Pizzaria do Bairro são a mozzarela e a farinha e que mal encontrem os seus semelhantes, mas portugueses, não hesitarão em substituí-los. Todos os restantes produtos são portugueses, o que resultou em pizzas como a de Bacalhau Vermelha (com tomate), a de Bacalhau Crocante (com espinafres, requeijão, pão ralado, alho, queijo flamengo, mozzarela e azeite), a de Grelos (com batata no forno, chouriço e requeijão), a Maria (molho de tomate, queijo flamengo, queijo mozzarella, requeijão, oregãos) ou a Pizza Portugal (com chouriço, abóbora, pimentos verdes e vermelhos – uma brincadeira com as cores nacionais). Esmeralda e Giulian Fetahu, irmãos de origem albanesa mas que viveram muitos anos em Itália, conseguiram, até, tornar pizzas italianas mais portuguesas. Exemplo disso é a Pizza Gourmet, em que parte da pizza é confecionada com brasaola e rúcula, mas usa presunto de vaca português, agriões e um queijo curado artesanal de cabra e ovelha. Ou ainda a Pizza 4 Queijos, feita com queijo de cabra, queijo da Ilha de São Jorge, requeijão e mozzarela.

O primeiro espaço surgiu num armazém no Cais do Sodré, no qual há a vertente grab and go ou, para quem não tem pressa e quer desfrutar destes sabores sentado, há uma pequena esplanada para os receber. Aproveitando a localização numa zona com bastante dinâmica nocturna, a Pizzaria do Bairro está aberta ao público durante toda a noite ao fim-de-semana, altura em que também servem uma variedade de cocktails.

A Pizzaria do Bairro deu continuidade ao seu conceito ao abrir no food court do Amoreiras Shopping Center e no Chiado. A abertura do espaço no Chiado aconteceu no final de Fevereiro, sendo que é o primeiro restaurante da marca, com cerca de 80 lugares sentados. Além das pizzas à portuguesa típicas da Pizzaria do Bairro, neste espaço podemos também encontrar algumas especialidades italianas, como a Burrata de Búfala com ananás grelhado, Parmigiana de beringela e courgette, Risotto de cogumelos bravos e queijo provola, Bruschetta de bacalhau, Mini panzerotti de requeijão e abóbora grelhada, entre outros. Para esta parte da ementa, a equipa da Pizzaria do Bairro contou com a consultoria do chef italiano Augusto Gemelli. Este espaço passou a ser, aliás, o único espaço físico de venda dos produtos que o chef Gemelli traz de Itália: mozzarella de búfala, bocconcini, treccia e burrata. A decoração do espaço é tipicamente portuguesa. Há uma horta no tecto e um painel de azulejos em tons de azul e amarelo que percorre as paredes até ao forno.

Entretanto vamos poder saborear estas pizzas à fatia em eventos de destaque a nível nacional, através do seu espaço móvel, o “Autocarro Pizzaria do Bairro”, cujo calendário vai sendo anunciado ao longo do ano.

O pizzaiolo Giulian Fetahu é a figura central da Pizzaria do Bairro. A Albânia foi o país que o viu nascer, mas foi em Itália que viveu a maior parte da sua vida. Começou cedo a trabalhar na área da restauração, primeiro na sala e só depois na cozinha, onde descobriu a sua paixão pela pizza. Nos últimos anos tem-se dedicado a aprofundar os conhecimentos técnicos nesta área e agora finalmente concretizou o seu sonho de abrir um espaço em que essa é a especialidade. Em Portugal, tem aprofundado os conhecimentos sobre as matérias primas nacionais e formas de as enaltecer nestes pratos.