Rui Calçada Bastos expõe no Tivoli Lisboa

Tivoli Lisboa continua a sua aposta no apoio e no acolhimento de artistas plásticos de várias vertentes. Sendo um espaço de passantes de média ou curta estadia, o Hotel é lugar de fruição de obras de arte contemporânea. Mostrando que a relação entre a arte nacional e os hóspedes é uma possibilidade de relação entre artistas, turistas, hóspedes, staff e visitantes.

“Interruptions and Imperfections” dá nome à mais recente exposição de fotografia do artista Rui Calçada Bastos, que estará patente no Tivoli Lisboa de 1 de Outubro a 30 de Dezembro, integrando o projecto “Tivoli Contemporary Art”, por onde já pas- saram reconhecidos artistas portugueses, como Rodrigo Oliveira, Pedro Barateiro e Pedro Calapez, entre outros.

A residir actualmente entre Berlim e Lisboa, Rui Calçada Bastos estudou pintura nas Escolas de Belas Artes do Porto e de Lisboa. A sua obra, que incorpora a utilização do vídeo e da fotografia, foi apresentada internacionalmente em vários locais, nomeadamente no Nasjonalmuseet for kunst. Arkitektur og design em Oslo, no Kunsthalle de Bergen na Noruega, no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, no Singapore History Museum, entre outros.

Com este projecto, através de uma série de fotografias que estarão expostas na Brasserie Flo, Rui Calçada Bastos efectua um breve exame fenomenológico de certas gestalts de continuidade e descontinuidade que podem ser encontradas em situações quotidianas. As imagens nestas fotografias examinam temas tão essenciais como a relação ponto-linha, a relatividade do continuum espaço-tempo e o modo como são experienciados pelo humano.

Em “Interruptions and Imperfections” o artista procura ainda investigar a pretensão de conhecimento objectivo no confronto com interrupções e imperfeições de expectativas habituais que, neste caso, ocorrem enquanto percepções de linhas de trânsito desenhadas no asfalto e que foram sujeitas a interferências, ou que simplesmente tiveram de se conformar com outros elementos necessários à vida urbana.