Gentlemen’s Talks – Miguel Stanley

_54A5452

Nascido em Durban, Miguel Stanley é, sem dúvida, um homem do mundo e com uma grande capacidade de comunicação. Conhecido por nós, portugueses, pela sua entrega ao mundo dos cuidados dentários teve programas televisivos seja na SIC como na TVI onde os seus talentos eram colocados ao serviço de quem necessitava.

Fundador da Clínica White e do seu conceito global de intervenção na pessoa desde tratamentos dentários, técnicas de anti-aging e até psicologia; reflecte até a sua compreensão global da pessoa humana. Por tudo isto, e pelo sentido apurado de elegância, o Gentleman’s Journal quis conversar e ouvir o seu conceito de uma pessoa elegante.

O que faz um homem ser elegante?

A educação e o carácter. Hoje em dia infelizmente há muitos homens que confundem vestir bem com ser elegante. Prefiro muito mais um sorriso confiante baseado na integridade do que um fato feito à medida
Quais são as peças imprescindíveis no guarda-roupa masculino?

T-shirt preta e bem confortável. Bons sapatos feitos à mão e devo dizer que adoro sapatos ingleses, no entanto cada vez mais vejo que Portugal está a dar que falar, é pena não haver sempre no meu tamanho.
Tem “role models” quando se fala em elegância masculina? Figuras que o inspirem?

Não sou alguém que siga role models pela sua elegância. As pessoas que admiro são as que mudam o mundo com a força de carácter e dos seus sonhos, pessoas como Gandhi, Einstein e Steve Jobs.

No entanto há um actor de cinema que acho que está sempre bem vestido e gosto papéis que escolhe, o Michael Fassbender.

Uma intervenção de medicina dentária é uma questão de saúde pessoal mas também tem um factor de auto estima?

Uma pessoa que tem a felicidade de nascer com um sorriso bonito nunca vai entender qual a sensação de conquistar um sorriso novo. Tem sido a minha paixão nestes últimos 16 anos e a razão que me mantem motivado e focado na excelência, o de poder mudar a vida dos meus paceintes. Devolver a saúde a alguém é não só mudar a vida dessa pessoa como também a vida dos que a rodeiam. Com um novo sorriso conquista-se dignidade, afecto e principalmente auto-estima, e ter a capacidade de o fazer é para mim um privilegio. Tal como se pode fazer um fato à medida eu consigo construir um sorriso à medida.

Da sua experiência fora de Portugal, a cultura de elegância portuguesa está a expandir?

Eu faço parte de uma geração que viu nascer Nuno Gama, Miguel Vieira, Ana Salazar, Fátima Lopes, entre muitos outros. Fico feliz por ver que a maioria está a crescer não só dentro de Portugal mas também fora do pais. Adoro a roupa do Nuno Gama e do Miguel Vieira e uso estes fatos portugueses nas minhas palestras por todo o mundo. Acho que muito em breve o trabalho excepcional que os portugueses empreendedores estão a fazer para sair da crise, em todos os sectores, se vai notar. Somos grandes e somos bons naquilo que fazemos.