007 e as marcas de homem

007, o homem elegante. A relação entre o agente secreto mais famoso do mundo e as marcas (roupa, acessórios ou gadgets) é de longa duração e marcou cada actor que interpretou a personagem elegante de James Bond.

Existe uma lista de gadets e artigos de moda utilizados nos filmes que possuem tantos fãs como a própria personagem.

Começa-se a falar da ciência que trata de 007, Bondology. Com vários seguidores no mundo, que mais se podem de chamar de colecionadores. É do conhecimento destes fãs que Sean Connery dirigiu um Aston Martin prateado DB5, pela primeira vez em Goldfinger (1964), ataca o vilão com uma bola de golfe Penfold, usa um chapéu de feltro da Lock & Co e um fato de três peças feito sob medida por Anthony Sinclair. No The Man with the Golden Gun (1974) Roger Moore tinha uma carteira da Gucci, um Rolex Submariner e um fato desenhado por Cyril Castle, com  as lapelas e pernas da moda de então, largas. A colaboração de longo prazo de Bond com a marca Brioni de Itália começou em Goldeneye (1995).

Os fatos que foram usados ​​por Pierce Brosnan, a partir daí, em todos os filmes em que ele encarnou a personagem são dessa marca. E ainda foram usados por Daniel Craig, em Casino Royale (2006). As camisas utilizados no penúltimo filme vêm de Turnbull & Asser, alfaiates de Jermyn Street. Porém, em Skyfall o look do agente secreto é totalmente Tom Ford. Continuando esta parceria no Spectre. 

Desde 1995 que os relógios de James Bond, são todos da marca Ômega, que para cada filme lança um modelo novo.

As marcas vêem, e bem, na figura de James Bond, uma referência do mundo masculino. Não só pelo lado apelativo do agente secreto mas como sinómino de elegância e bom gosto. Um paladino “ao serviço de Sua Magestade, a Rainha” e um role model para o homem cavalheiro.