Os homens estão a mudar os hábitos de cuidado pessoal!?

Barba ou não? depilação ou não?

Um novo estudo vem mostrar que os homens mudaram os seus hábitos de cuidado pessoal ou grooming. Seja pelo reaparecimento da barba ou por quererem manter alguns pêlos corporais, as rotinas mudaram. Muito influenciam alguns factores, seja a imagem do homem que mudou, neste últimos tempos, ou a própria vida em comum que aparece com vários modelos e possibilidades.

Como se vêem e como se cuidam os homens? Como querem ver-se? Como é que os seus parceiros e parceiras mais gostam?

Este estudo, desenvolvido pela Philips, mostra que 78% dos homens usa habitualmente algum tipo de barba, e destes a opção mais popular é a barba de três dias (43,7%), seguida da barba mais densa (25,6%). As restantes opções de estilo como a pêra, o bigote e as patilhas são as menos eleitas.

Mas, os homens usam o estilo que desejam? Deste estudo conclui-se que 1 em cada 3 homens não o fazem. Embora a barba revele um estilo mais aspiracional, quase 33% dos homens não a usa. Porquê? A falta de tempo e o esforço necessário para uma barba cuidada são os principais motivos para alguns deles não usarem como gostariam.

Já o look dos homens quanto ao estilo do pelo facial coincide com o que as mulheres gostam, já que 71% das mulheres inquiridas declararam que a barba de 2 ou 3 dias é o seu estilo preferido.

Viver em comum faz com que os homens se cuidem melhor e com mais frequência

A grande maioria dos homens (62%) barbeiam-se pelo menos uma vez por semana, contra os 6% que o fazem diariamente e 28,9% que se barbeia uma vez por mês. A frequência com que os homens cuidam do seu barbear aumenta quando estes vivem com alguém. 1 em cada 3 homens que vive em casal faz a barba várias vezes por semana, enquanto que aqueles que não vivem em casal têm um percentual mais baixo (23,5%).

No que se refere ao uso de produtos de barbear não houve evolução como era de esperar: o aftershave, loções e a espuma continuam a ser os complementos mais utilizados para ajudar no barbear. Surpreendentemente neste campo 27% dos homens não utiliza nenhum produto na sua rotina de barbear. De novo, no que se refere a cosméticos, os homens que vivem em casal utilizam, em maior parte, loções e espuma ao contrário dos que não vivem em casal, que optam por gel de barbear.

Segundo este estudo, desenvolvido pela Philips com homens entre os 18 e 35 anos, 71% dos jovens do sexo masculino afirmam que utilizam aparelhos elétricos para se barbear, unicamente combinados com outras opções manuais. Em média, os homens utilizam dois utensílios para se barbear. Os três produtos mais utilizados por eles são aparadores elétricos (37%), lâmina descartável (34,6%) e máquina de barbear elétrica (31,7%). Esta última é significativamente mais utilizada pelos homens mais jovens (18 a 25 anos).

Praticamente todas as mulheres gostam que os homens utilizem aparelhos elétricos para o barbear ou depilar e 47% já ofereceram, em alguma ocasião especial, utensílios para a depilação ou para o barbear. A estrela: a máquina de barbear eléctrica.

E o que acontece com o resto do pêlos corporais?

80% dos homens retiram os pelos de outras partes do seu corpo. Curiosamente, é mais frequente depilarem-se noutras partes do corpo quanto maior é o comprimento da barba. Quase 84% dos homens com barba depila-se, enquanto esta percentagem baixa para 71% entre aqueles que fazem um barbear apurado.

Nesta questão não há consenso entre homens e mulheres. A zona com mais pêlo no corpo que preocupa mais os homens é a dos genitais (66,8%), glabela (49%) e peito (40,6%). As mulheres também gostam que os homens se depilem, mas as zonas essenciais para elas são a glabela (63.4%), as costas (44.9%) e o nariz (44,2%) e em menor medida as orelhas, o peito e os genitais. Entre os homens que se depilam, em outras partes do corpo, não viver em casal é determinante: aumenta o número médio de zonas depiladas.

Para a depilação corporal, 68% dos jovens do sexo masculino utilizam aparelhos elétricos, 35% dos mesmos combinam com utensílios manuais. O laser é apenas uma opção para 2,6% dos homens. Quase 45% dos homens que vivem em casal utiliza apenas aparelhos eléctricos.