Uma luz especial num relógio

As auroras boreais encontram-se entre os fenómenos da natureza mais extraordinários do nosso planeta: uma luz fluorescente ilumina a escuridão noturna através de um misterioso manto verde.

Com três dos seus mais espectaculares relógios na bagagem, a A. Lange & Söhne embarcou numa viagem à Islândia para um encontro com uma das mais fascinantes extravagâncias da Mãe Natureza. Eis algumas das palpitantes impressões recolhidas entre luz e penumbra num ambiente natural primitivo.

O jogo de opostos culminou de maneira perfeita com a aurora boreal no céu ártico sobre a Islândia. Para os três modelos luminescentes da A. Lange & Söhne, tratou-se do cenário ideal para revelar o espetacular contraste entre luz e escuridão.

O trio virtuoso de fascinantes relógios de luz que acompanhou a expedição nórdica incluiu o recente GRAND LANGE 1 MOON PHASE “Lumen”, apresentado em janeiro deste ano. Juntamente com o ZEITWERK “Luminous” e o GRAND LANGE 1 “Lumen”, é o terceiro modelo A. Lange & Söhne equipado com um mostrador de safira semitransparente. O seu revestimento permeável à luz permite aos algarismos absorver suficiente energia luminosa para brilhar de modo uniforme na noite durante várias horas.

Relógios com indicações luminescentes precisam de uma fonte de luz que carregue a matéria aplicada aos componentes do mostrador e faça com que brilhem. Graças ao mostrador semitransparente preto matizado e a um engenhoso mecanismo, os indicadores do GRAND LANGE 1 MOON PHASE “Lumen” e dos outros dois modelos A. Lange & Söhne “Lumen” podem ser permanentemente carregados com energia luminosa.

O mostrador é feito de prata escurecida com generosas aberturas e uma rodela de vidro de safira matizada que é semitransparente. O revestimento especial aplicado ao vidro bloqueia a maior parte da luz visível mas não os raios UV que “carregam” os pigmentos luminosos no mecanismo de data sobredimensionada e fazem com que brilhem na escuridão.

A cruz das dezenas é revestida de uma matéria branca luminescente e impressa com algarismos negros. Adequadamente, o disco das unidades, também dotado de algarismos negros, é composto por vidro transparente e roda por cima do fundo luminescente na abertura da data.

O disco lunar é feito de vidro. A superfície vidraçada é revestida através de um processo patenteado. Seguidamente, 1164 estrelas e a lua são recortadas através de um raio laser. O material luminescente por trás do disco lunar faz com que tanto a lua como as estrelas brilhem. A janela sobredimensionada para as fases da lua ocupa uma posição proeminente no mostrador. Depois de ser adequadamente acertado, o disco lunar só precisa de ser corrigido em um dia a cada 122,6 dias.

Também conhecidas por luzes do norte, as auroras boreais são um fenómeno natural raro que pode ser observado na região polar somente durante alguns dias entre os meses de Setembro e Março. Processos físicos complexos criam auroras policromáticas nos estratos superiores da atmosfera terrestre.

A luz verde, à qual os nossos olhos são especialmente receptivos, ocorre a uma altitude de cerca de 100 quilómetros. É aí que o oxigénio colide com as partículas carregadas de eletricidade dos ventos solares. Essas colisões emitem luz com um comprimento de onda de 557,7 nanômetros, que a vista humana entende como sendo verde.