A propósito dos PRÉMIOS ÁQUILA 2015 – Dress code

Photo by Sara Pinheiro

Foi com grande prazer que aceitamos ser um dos Comentadores de Moda dos PRÉMIOS ÁQUILA 2015 no “Especial Passadeira Vermelha”, que este ano terá uma duração de 60 minutos no dia 9 de Dezembro na Fundação Calouste Gulbenkian.

Quando o Vasco Rosa da Byron Produções referiu o dress code, Black Tie, algumas imagens do passado vieram ao nosso imaginário. Pois, sempre que observámos que em Portugal, nunca se respeitavam os dress codes; sejam em festas temáticas, galas, ante-estreias (filmes etc) ou em jantares.

Normalmente esta indicação aparece no convite que nos é enviado pelos organizadores ou patrocinadores do evento em questão. Não havendo menção fica ao nosso critério e discernimento, virtudes que actualmente faltam na formação e cada vez se encontram obnubiladas. Mas se no convite refere o dress code cabe-nos respeitar o mesmo ou apresentar as nossas escusas a quem nos convida e não ir.

Desde as festas do Lux-Frágil até ao simples cocktail ou evento com tema, tenmos observado que o total desrespeito pelo dress code é generalizado até, muitas vezes, por “culpa” de quem organiza pois condescende com quem não respeita o seu desejo.

As chamadas regras de etiqueta não servem para atrapalhar mas para regularizar as nossas relações; se alguém me convida para uma ocasião e diz Black tie, tentarei encontrar algo que respeite o meu anfitrião e a vossa vontade de dar um certo glamour ao evento.

Black tie

Quando é referido Black tie, o que significa? Esta designação nasce da indumentária anglo-saxonica formal e de eventos de final de tarde e noite no século XIX. Derivado do dinner jacket, é chamado de tuxedo nos USA ou smoking, é sempre utilizado em eventos depois das 18h.

Para o homem, é composto por casaco negro com pormenores em seda ou outro material e muitas vezes com botões forrados. As calças também negras possuem de modo geral uma faixa a todo o comprimento. Com uma camisa branca adornada com laço (bowtie) ou gravata também preta.Pode ser complementado com uma faixa de seda na cintura, botões de punho e sapatos de fivela por exemplo.

Pode haver sempre variações na composição do blazer, tendo várias cores como possibilidade. Mas, a estrutura e o cuidado na aparência são o centro da preocupação de quem é convidado.

Sem dúvida que é um dress code difícil, por isso usado em ocasiões especiais e não se deve abusar do mesmo.

Portanto, antes de qualquer ocasião social para que sejamos convidados devemos ter sempre atenção ao dress code para que o nosso vestir seja uma maneira de participar na dinamica do convite e do desejo da anfitriã ou anfitriao. Pois como dizia Tom Ford “Dressing well is a form of good manners.”

PS – para as senhoras, embora não seja o nosso target, aconselha-se sempre vestidos compridos e evitar os vestidos de cocktail (mais curtos). Ter atenção à cauda que o vestido possa eventualmente ter pois deve ser alvo da sua atenção, deve andar sempre com cuidado e a pegar na ponta da cauda.