Diários do Douro – Quinta de la Rosa

Na nossa estadia no Douro estivemos hospedados na Quinta de La Rosa, uma preciosidade junto do rio. Com uma vista privilegiado sobre o Douro, tem uma história centenária de produção vinícola de várias formas.

Para além disso, sabe receber muito bem; a grande tradição de receber nas casas do Douro reflecte-se neste espaço de turismo. Desde as actividades até às refeições, sentimos a qualidade do serviço que só podemos sentir no Douro. O pequeno-almoço farto e com uma vista de encantar até a um jantar de Sábado perfumado com os vinhos ali produzidos. Nesse mesmo dia, juntámo-nos ao La Rosa  Hill Challenge embora num estilo menos doloroso!

O desafio inaugural La Rosa Hill Challenge ocorreu a 12 de Julho de 2014 – este, consiste em atravessar o rio Douro a nado e subir a colina oposta á Quinta, em corrida. O desafio original, aconteceu nos anos 20 e consistia somente na subida da colina. No entanto, nos anos 80, e para fazer o desafio mais ”interessante”, foi incluida a travessia a nado do rio.

Como tudo na região do Douro, a quinta de La Rosa possui uma história; a família Bergqvist tem vindo a produzir vinho do Porto desde 1815. A Quinta de La Rosa foi oferecida como um presente de baptismo a Claire Feueheerd, avó de Sophia Bergqvist (actual proprietária), em 1906. A empresa de comercialização e exportação de vinho do Porto da família – Feueheerd – foi vendida nos anos 30, no entanto, a La Rosa foi mantida e gerida por Claire. Em 1988, Sophia e o seu pai, Tim Bergqvist, decidiram recomeçar o negócio de família, lançando a Quinta de La Rosa como um dos produtores de Porto com mais qualidade no mercado local. Começando no início dos anos 90, a família Bergqvist foi uma das pioneiras a levar a produção dos vinhos de mesa a sério no Douro. Os vinhos tintos produzidos na Quinta de La Rosa são vendidos em muitos restaurantes de prestígio e lojas de vinho em todo o mundo.

A maioria das empresas que se dedica à produção do vinho do Porto, separa o processo em duas fases e locais: produção no Douro e amadurecimento e engarrafamento do néctar em Vila Nova de Gaia. No caso da Quinta de La Rosa tudo é feito no Douro, pelo que os visitantes da Quinta podem acompanhar o processo completo de feitura de vinhos Douro DOC e Porto lado a lado.

As visitas à Quinta de La Rosa começam todos os dias às 11h00, têm a duração de uma hora e terminam com uma prova de vinhos; o custo é de €10,00 por pessoa, sendo limitadas a grupos de 24 pessoas por visita. Para além desta tipologia de visita standard, podem ser marcadas visitas personalizadas e provas mais completas, em que ao vinho se juntam iguarias locais.

Para além das visitas e provas, são muitas as actividades que os visitantes da Quinta de La Rosa têm ao seu dispor: refeições vínicas e piqueniques; passeios a cavalo; caminhadas com diversos percursos (ex.: ao longo da parcela Vale do Inferno, uma vinha plantada antes da I Guerra Mundial e que conta com algumas das maiores paredes de pedra de xisto – um ícone da região); visitar o património arquitectónico circundante; tomar banho e nadar no rio Douro; fazer um cruzeiro no Douro; ou andar no comboio histórico, num percurso à beira do rio, entre a Régua e o Tua, desfrutando de uma viagem única ao passado, marcada pela beleza da paisagem classificada pela UNESCO como Património Mundial.